Rewind

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

lume|

As rosas de teu nome nunca murcham
E a sombra de meu corpo dorme sempre com a tua
São dois corpos que da noite a vida puxam
Queimando juntos, no lume, a carne nua 

RM
Enviar um comentário