Rewind

domingo, 6 de março de 2016

Gó,

06.03
 
Gózinha!,
 
Diga menino,
 
Parabéns!
 
toda a minha vida, a tua voz
 
toda a minha vida, os teus olhos marotos
 
e o teu sorriso como o número de porta que sabemos ser o da nossa casa.
 
Vim para te agradecer, Gó.
 
O Deus das missas onde eu e o A. te fazíamos cócegas
 
O Deus das tuas velinhas,
 
Oh menino, vai correr tudo bem, vai ver!,
 
[e a vela acesa, sempre por nós]
 
Vim para te abraçar e sorrir-te do portão
 
para poder não ter pressa, outra vez
 
e ficar para jantar,
 
Que querem jantar, meninos?,
 
Bife com ovo!, Gó, bife com ovo!
 
 
Vim para te dar a mão, Gó,
 
sei que já não tens que me levar à escolinha nem nada
 
mas dá-me a mão,
 
só porque sim
só porque podes
só porque queres
 
como se fosse a minha vez de te levar onde for preciso.
 
Vim para que me ouças, Gó,
 
tu que sabes o tamanho da minha saudade
tu que tens no coração os nossos nomes
e és também a minha casa,
 
acende uma vela, nesta hora, se puderes,
 
diz que ao Deus das missas-com-cócegas
 
que os Meninos precisam da Avó
 
(e de ti)
 
e dá.me um abraço,
 
Oh menino, vai correr tudo bem, vai ver!, 
 
Dentro dos teus braços, estou bem.
 
e o teu sorriso, como um número de porta,
 
diz-me que estou em casa
 
e isso chega.
 
RM| VI-III-MMXVI
Enviar um comentário