Rewind

sábado, 26 de junho de 2010

thoughts

A consciência abriu o mundo ao homem, mas deu-lhe a conhecer também a solidão. O homem pôde ouvir outras vozes mas, sobretudo, ouvir a sua também. Depressa, porém, essa deixou de bastar. Saber-se trazia inscrito um apelo: esse de precisarmos do outro; isso a que chamamos amor.
Enviar um comentário