Rewind

domingo, 11 de maio de 2014

não sei o que foi que disseste,

não sei o que foi que disseste, mas sorri
e olhei-te sem sequer ter pensado olhar-te
os meus olhos seguiram o corredor rouco da tua voz
e viram o teu corpo molhado ardendo ao sol
trazias o sumo de frutas maduras na luz da pele
e o que tive foi fome da polpa dos teus beijos
e uma sede súbita da frescura da tua língua

não sei até hoje o que foi que disseste, mas sorri
de repente, a tua voz desatava os nós dos meus dedos
a areia do meu corpo deslizava inteira para dentro da maré viva que eras tu
era fácil este amor e esta nudez repentina no silêncio
e tudo o que se ouvia era o meu corpo a sublinhar o teu

não sei o que foi que disseste, mas sorri
e sei que entramos juntos na noite que chegava
a tua boca ainda refém da minha mais uns instantes
as nossas mãos cansadas traziam maresia
e o sorriso ficou-me no rosto demorando
nas palavras que o teu corpo em segredo me dizia

RM   
Enviar um comentário