Rewind

domingo, 31 de agosto de 2014

dizer-te,

dizer-te ao fim da tarde que está tudo bem
que hei de enlaçar nas palavras dos teus lábios todos os meus dias
e esperar apenas que sobre todas as coisas seja noite
e nela se escreva sobre pedra o nosso amor

dizer-te que o teu vestido rouba da luz um doce riso
que as horas na tua pele duram somente um instante
e esperar apenas que surjas tu por entre as árvores
e o regresso seja sempre a história dos meus olhos    

dizer-te que as minhas mãos buscam a manhã no teu olhar
que as flores se esquecem subitamente de morrer dentro das jarras
e desejar com todo o sonho que algures dentro de ti haja o meu nome
e que as folhas que caem sejam versos que a saudade num abraço fez para ti

dizer-te que te olho uma vez mais sempre que parto
que guardo o teu cheiro na pele como um antídoto
e deixar que a lembrança do que somos pouse na praia
e no vento se escreva de nós a eternidade

RM
Enviar um comentário