Rewind

sábado, 1 de setembro de 2012

janela.

Hei de continuar nessa janela
A noite toda um bordado de luz
Que traz no colo a memória dos teus dedos
Nessa brisa que serena chega, enfim

Hei de de continuar esperando
Que as brasas dos teus olhos se acendam
Brilhantes e vivas
E que do véu escuro dessa noite de cetim

Se lance sobre o mundo esse rumor
De pele que se rasga toda inteira
De beijos que se cravam como espinhos

Hei de continuar nessa janela
Guardando as pétalas dos beijos que não murcham
O dia carmim como um corpo que se vela

E dos beijos que a tua boca sela
O doce murmúrio do desejo

Como água que serena
Corra num jardim.


RM
Enviar um comentário