Rewind

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

por ti|

Amei-te com as palavras que o vento te deixou no peito
E dancei contigo no ventre de cada Estio
Envolvi teu corpo no fogo do sonho refeito
Como num vício louco e doentio

Quebrei todos os vidros que te cercavam
E apontei lá longe o sonho que existia
Se todos os versos te nomeavam
Era meu corpo que o pedia

Ao ataque dos teus olhos eu quis render-me 
E na tua boca assinei a rendição
As curvas do teu corpo pareciam conhecer-me
E não saber dizer que não

Sem ti o rumo foi sempre incerto
E a palavra morada inútil e vazia
Desejo no sangue saber-te perto
E encontrar teu gosto na maresia

RM
Enviar um comentário