Rewind

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

tua boca|

Tua boca dança na minha como se brincasse
E tua pele rasga a minha com uma fome sem igual
Teus olhos são os de um pássaro que voasse
Sobre um abismo escuro e fatal

É o mundo que morre sozinho na vidraça
E tu és quanto a vida me prometeu
É a multidão vazia e só que ao longe passa
E meu coração bate inteiro junto ao teu

As pedras do caminho chamam por ti
E os lençóis querem dormir no teu perfume
Traz outra vez as saudades que te despi
E deixa-as arder no ciúme

Fica, meu amor, na noite que te abriga
E demora teus olhos no amor dos meus
Fica, amor, porque te obriga
O impossível que é dizer adeus

RM

Enviar um comentário