Rewind

sexta-feira, 17 de maio de 2013

teus dedos|

Vejo-te sem que pense
No súbito chegar da madrugada que sobe
E tudo é um silêncio em que teu nome
É o arrepio das horas que não chegam
Para gastar a areia do teu corpo
Nas promessas em que meus dedos quiseram os teus
Com mais força

RM

Enviar um comentário