Rewind

domingo, 9 de março de 2014

Gó,

06.03

a mesa está posta
e o açúcar dos teus olhos derrete-se sobre mim

a mesa está posta
e a casa corre (deve haver uma festa qualquer)

a mesa está posta
e as flores respiram nas jarras sorridentes

a mesa está posta
e as vozes dançam no improviso da alegria

a mesa está posta
e a tua manhã começou cedo connosco no coração

a mesa está posta
e ainda fugimos para ir à missa contigo
(Menino, dê-me a mão. Ande lá.)

a mesa está posta
e és nossa cúmplice na meninice de sonho e liberdade

(eu e o Né ainda hoje sorrimos no conforto de um Deus que o teu exemplo tornou possível)

a mesa está posta
(mas és tu quem faz anos, neste dia)

Vem sentar-te connosco, Gózinha.
(Chega-te para nós, deixa-te de coisas.)

a mesa está posta, Gó.
(Obrigado por tudo, malandra)

Sabe uma coisa:
no lugar onde morarmos para sempre
será pelas tuas mãos grandes e doces que procurarei no escuro

E ficará sempre tudo bem.
(Gosto muito de vocês, meninos.)

Nós também, Gó, nós também.
(E tanto.)


RM
 
Enviar um comentário