Rewind

sexta-feira, 21 de junho de 2013

ainda|

Moras ainda no fundo de meus olhos
E és ainda tu quem vejo nas horas que passam
Teus passos passando por dentro de meu peito
E teus beijos como folhas vivas que se amassam

Moras ainda no fundo de meus olhos
E és ainda tu quem chega na luz da madrugada
Teus dedos agarrando bem fundo cada momento
Numa paisagem funda e intocada

Moras ainda no fundo de meus olhos
E és ainda tu o fim do horizonte e a imensidão
Teus lábios rasgados no perfume das flores
E teu corpo todo inteiro na amplidão

RM
Enviar um comentário