Rewind

domingo, 31 de março de 2013

Outono|

Beijos que caem como folhas de Outono chegando
Estradas de poeira de ouro ao vento
Enquanto no meu peito o alento
De loucamente ir amando

Catedrais de espuma e de saliva
Hinos de saudade assim gritada
E uma alma toda ela cativa
De ti toda apaixonada

Sonhos sem medida e sem sentido
Encruzilhada de fogo e solidão
Enquanto sozinho e perdido
Busco no céu teu chão

A noite fria como um aviso
E lágrimas como a morada do tempo
Paredes onde mora o teu sorriso
Onde ecoa o meu lamento

Guardo no peito a luz dos dias
Em que serena descansavas
Em que dormindo já sonhavas
Os beijos meus que querias.

RM
Enviar um comentário