Rewind

sábado, 30 de março de 2013

Se ao menos|

Se ao menos esta alameda de saudade
Fosse um mar morno e reluzente
Um jardim florido numa cidade
Com o teu corpo presente

Se ao menos o vento fosse um segredo
Um céu de prata e acalmia
Um sonho sem noite e sem medo
Uma doce melodia

Se ao menos esta janela fosse teu olhar
Um grito aceso e sem medida
Um riso de paz a iluminar
A hora da despedida

Se ao menos esta varanda fosse teu peito
Um altar de silêncio em flor
Um engano desfeito
Ou o fim da dor

Se ao menos este rumor fosse o teu corpo tremendo
Ou teus lábios de carne incendiada
O tempo se quebraria sabendo
O quanto tu foste amada.

RM
 
Enviar um comentário