Rewind

sábado, 4 de janeiro de 2014

ausência|

Pontuar tua ausência com o excesso
Em que as sombras dançam na espera
Reconhecer em ti tudo o que peço
E poder ver repetidos os beijos que te dera 

Pontuar tua ausência com o infinito com que te quero
Em que meu corpo se agita ouvindo no vento o teu nome
Encostar o peito à estrada em que te espero
E sonhar matar no fogo a minha fome

Pontuar tua ausência com a vertigem dos teus braços
Em que a saudade morre num beijo de repente
Escutar o rumor feliz de cada um dos teus passos
E poder beber a luz dos teus olhos novamente

Pontuar tua ausência com as lágrimas que já chorei
Em que o peito é deserto banhado em solidão
Lembrar o tempo inventado em que te amei
Como se ainda tivesse na minha a tua mão

RM
Enviar um comentário