Rewind

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

querer-te|

Querer-te é ter nos olhos um jardim
Em que as flores são os passos que acabam quando chegas
Querer-te é trazer na boca o sonho aceso e carmim
E roubar-te na pele o voo que me negas

Querer-te é inventar um poente irreal
Em que a forma das coisas é o teu corpo junto ao meu
Querer-te é um delírio tão completo e total
Que meu nome é o chão que te ergueu

Querer-te é trazer comigo o vento da procura
E buscar de ti em cada dia a luz despida  
Querer-te é mergulhar inteiro na loucura
E nascer de novo na manhã adormecida

Querer-te é do Estio uma lembrança
Em que as luzes dançam a noite inteira 
Querer-te é ser um pássaro que se lança
Na viagem final e derradeira

RM
Enviar um comentário