Rewind

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Mãe,

Aprendi no verde dos teus olhos a ver o mar
E no rumor do teu abraço sonhei que era isso que era a vida
Aprendi na luz dos teus cabelos a ver o vento chegando
Como uma promessa de infinito sempre repetida

Aprendi no doce labirinto das palavras a encontrar paz
E na noite escura das esquinas a esperar regresso
Aprendi contigo que o amor é o incêndio mais voraz
Em que por ti me salvo e me confesso

Aprendi na areia da tua pele em que chão se estende a liberdade
E na vertigem da distância a escutar o tempo
Aprendi contigo que no ventre escuro da cidade
Alguém sempre escolhe olhar o firmamento

Aprendi contigo que quem sonha vê mais alto
E que o sonho é maré que chega com a luz
Aprendi contigo que toda a felicidade é um sobressalto
Em que no escuro vemos mais quem nos seduz

Aprendi contigo que a realidade às vezes se agiganta
E nela cabem paisagens de coisas nunca ditas
Aprendi contigo que o peito já não se espanta
Se o rio trouxer fundo mais desditas

Aprendi contigo que todo o caminho é promessa de amanhã
E que as janelas se abrirão sempre sobre o mar
Aprendi contigo que é aqui, Mamã,
O espaço e o tempo de te amar

RM

Enviar um comentário