Rewind

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

céu aberto|

O teu nome é o descampado em que a noite só se deita
E teus olhos são o espelho de cada coisa mais bela
Tua boca é na minha pele fruta doce e desfeita
Como um segredo que no silêncio que arde se revela

O teu olhar é na luz um pensamento
Em que teus dedos são na areia vagos beijos
Somos mais do que a vida num momento
Se na carne queimamos os desejos

Vem comigo deixar na praia o que nos ata
E caminhar serena em direcção ao tempo que não temos
Verás que é aqui que a felicidade nos retrata
Na promessa doce do futuro que seremos

Foi por ti que nas aves que eram livres, procurei
E foi por ti que em todas as ausências me quis teu
É por ti que um dia longínquo morrerei
Para roubar à morte o último beijo que era meu

RM





Enviar um comentário