Rewind

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

teu peito|

Teu peito abre-se como uma janela
Em que fico chamando teu nome
Teu peito é uma rosa na lapela
É um vento ágil que se some

Teu peito é um promontório de luz e de saudade
Em que me deito lembrando dos dias
Teu peito é uma noite alta na cidade
É um livro de rimas e poesias

Teu peito é um canteiro aberto em flor
Em que demoro o tempo e a vida
Teu peito é da estrela maior todo o fulgor
É loucura e luz e longe sem medida

RM
Enviar um comentário