Rewind

domingo, 28 de abril de 2013

não dispas|

Não dispas, ainda, do teu corpo
A luz que o embala enquanto dormes
E deixa que continue na tua pele
A cinza do incêndio que teus beijos atearam
Não dispas, ainda, do teu corpo
O rumor da lama acesa do desejo
E deixa que continuem na tua boca
Todas as palavras não ditas e inúteis
Em que o amor é sombra incompleta
Da luz inteira que mora nos teus olhos
RM
Enviar um comentário